VOCÊ AINDA ACREDITA?



    E novamente volto a perguntar. Você ainda acredita no amor? Com tantas histórias de pessoas que se auto destruíram por conta deste sentimento. Várias prosas mal contadas em bares sobre como o amor ferrou tudo. Tantos amigos que choraram no seu ombro, ou desviaram o olhar evitando chorar na sua frente quando viu a pessoa. Tantos conhecidos que mudaram completamente depois de ter o coração machucado. E não tem como julgar, quem não mudaria? Tantas expectativas frustradas, tantas pessoas que tinham tudo para ser quentes mas acabaram se tornando frias. Tantos bares, baladas e festas lotadas, enquanto os cinemas ficam extintos de casais. Tantas pessoas espalhadas pelo mundo que amam alguém que não as amam, por diversos motivos. Ou azar mesmo. E tantas pessoas que suportam coisas e dão diversas chances para outras pessoas que não deveriam. Erros e loucuras que são cometidos em nome do amor. As três palavras que são jogadas ao vento por alguém que fala como se fosse um “Bom dia” para qualquer um que lhe dê atenção. Tantas pessoas vulneráveis, esperançosas por aí que acabam escutando as três palavras e criando a tão famosa expectativa. Tantos casais que não vingam, tantos relacionamentos que terminam por um amar mais que o outro. E sempre tem, não é? Sempre tem aquela pessoa que sente, gosta e demonstra mais. E que azar quando essa pessoa é a gente. E que baita azar também quando não é. Tantos casos duradouros e sólidos, se destroem porque um dos dois acaba se apaixonando. Tantas pessoas despreparadas, pessoas preparadas. Tiveram a sorte de encontrar alguém bom, mas se veem obrigadas a deixar para lá. E claro, quantas pessoas estão neste momento chorando ou bebendo todas porque sempre conhecem o lado ruim do amor. E se você, leitor. Se já passou pelo lado ruim sabe quão difícil é se reerguer e catar todos os cacos. Tantos lares sem amor, criando crianças programadas para jamais arriscarem em amar alguém. E pais que amam tanto seus filhos, mas não demonstram como deveriam. Fazendo-os duvidar de tudo. E casos de pais que se amam a anos, com filhos que não encontram tamanha sorte.
    E é difícil acreditar novamente, pois é tão humilhante, exaustivo amar alguém que não nos merece. É completamente destruidor viver em um lar onde o amor não é valorizado. E é extremamente triste ver seus amigos ou pessoas próximas se auto destruindo em nome do amor. Como acreditar em um sentimento que te purifica e transforma sua vida, mas também te faz nadar na lama? A resposta é simples. Acreditando! E sei perfeitamente quão difícil é ter esperanças em encontrar alguém. O amor tem seus altos e baixos, tem seus riscos. Mas o que seria de nós sem ele? E por que viver se não for em nome do amor? Apesar de tudo, este sentimento nos traz esperança de continuar a viver, continuar os dias lutando.

Autora, nunca mais vou passar por isto. Chega! Já nadei na lama demais.

    Você pode se esquivar, pode jurar nunca mais amar alguém. Pode optar por viver livremente sem se prender, com suas coisas e suas conquistas. E pode ser muito feliz. Mas creio que um dia irá acordar pela manhã e vai faltar alguma coisa. Por mais que tenha conquistado tudo profissionalmente, realizado seus sonhos mais difíceis. Ainda assim, vai faltar alguma coisa. Vai faltar ter alguém para dividir o peso da vida, alguém para estar lá quando precisar e quando não precisar também. Somos programados para amar, para querer este sentimento e para tê-lo. Não dá para fugir, por mais que dê um medo danado de arriscar nossa paz e estabilidade. Precisamos nos sentir amados para ter paz e estabilidade. Estranho, não é? Correr o risco de perder os dois ao arriscar, e perder os dois se não arriscarmos. Vivemos correndo riscos, fazendo escolhas e tomando atitudes. Quando a vida está muito monótona, procuramos algo que nos dê adrenalina e nos faça arriscar. Com o amor, não seria diferente. E se fosse, não teria graça nenhuma. Talvez seja está a graça, não sabermos se será algo que suportará todas as estações, ou apenas de verão. Mas esteja disposto a nadar na lama se assim for preciso, ou valorize se não precisar. No fim,

o amor é a unica coisa que realmente importa.

Com amor,
Mi.

Milena Oliveira

Phasellus facilisis convallis metus, ut imperdiet augue auctor nec. Duis at velit id augue lobortis porta. Sed varius, enim accumsan aliquam tincidunt, tortor urna vulputate quam, eget finibus urna est in augue.

Nenhum comentário:

Postar um comentário